Vem Viver

Um olhar mais otimista

Postagem: 25 de outubro de 2017


Ser otimista significa, acima de tudo, ser realista. Uma boa dose de otimismo dá energia e estimula a busca pela solução, seja qual for o caminho. Em outras palavras, a pessoa otimista pensa no presente, mas olha para o futuro. Com isso, desenvolve chances de sobreviver às adversidades e cria alternativas para sair dela, independentemente dos acontecimentos ao seu redor.

 

Esse estado, inclusive, faz bem à saúde. Uma pesquisa britânica publicada no renomado jornal American Journal of Epidemiology revelou que mulheres com visão otimista podem viver mais do que as pessimistas.

 

O estudo analisou mais de 70 mil mulheres com idade média de 70 anos. Elas tiveram de avaliar o quão otimistas se sentiam, considerando uma escala de 0 a 24. As participantes foram monitoradas durante oito anos. Ao longo da pesquisa, mais de quatro mil faleceram por doença. Já as que se consideravam mais otimistas demonstraram um risco de morte por doenças fatais 30% menor do que as pessimistas.

 

Otimismo à prova

Por que algumas pessoas são mais otimistas que outras? Bom, não existe uma única resposta para essa pergunta, mas os especialistas que estudam o tema palpitam sobre um estilo de vida, digamos, mais feliz. Cuidar de si é um dos caminhos.

 

Para o psicólogo Iuri Guilherme Paulini Lopes da Costa, um bom começo é ter autonomia nas ações da vida e ser capaz de aprender com os próprios erros. “Primeiro, entenda você mesmo para depois entender o outro”, comenta.

 

O otimismo puro e verdadeiro, como já explicamos, faz um bem danado. Quem não o compreende, transfere essa energia para outro estado: o pessimismo.

 

Karina Monteiro Calderaro Brambila, assistente de saúde ocupacional, é otimista de carteirinha. Sua postura, segundo ela, é muitas vezes incompreendida. “Acham que vivo de utopia, iludida com a realidade”, comenta.

 

Mais uma das muitas adversidades que ainda estão por vir na vida de Karina. Aliás, viver é isso: colecionar dificuldades e sucessos. Mas cá entre nós, encarar a parte chata (mas necessária) com o coração e a mente cheios de otimismo é bem melhor.