Dicas de saúde

Álcool na adolescência

Postagem: 25 de outubro de 2017


A fase da adolescência inclui diversas mudanças físicas e emocionais. Nesse processo, o adolescente pode se sentir excluído ao perceber que não se assemelha a um grupo com o qual se identifique. Por isso, alguns recorrem à bebida alcoólica, como uma maneira de socializar e se sentir aceito.

 

Existem várias causas que levam à não aceitação do próprio corpo, como a pressão social de um grupo de amigos (por ser diferente dos demais), a influência da mídia por um padrão de beleza e a rejeição dentro do próprio núcleo familiar por ser diferente ou por ter as mesmas características físicas que os pais não gostam. Isso sem falar na baixa autoestima e na distorção da autoimagem.

 

Se isso não for bem trabalho, pode provocar diversas doenças. As mais comuns são ansiedade, depressão, transtornos de personalidade, distúrbios alimentares (principalmente bulimia e anorexia) e vigorexia, que faz com que a pessoa pratique atividades físicas de forma exagerada, além do alcoolismo. Esses transtornos são considerados graves e podem ser transitórios ou persistentes. O diagnóstico depende de cada paciente e do quadro evolutivo da doença.

 

Desde o início dos sintomas, é importante procurar ajuda. Quanto antes a doença for tratada, maiores serão as chances de recuperação. O tratamento mais indicado é feito com o apoio de psiquiatras, psicólogos e nutricionistas. Essas três áreas devem trabalhar juntas, mas há alguns casos em que a internação é indispensável.

 

Embora a adolescência seja considerada uma fase de rebeldia, os pais devem auxiliar os filhos durante o tratamento, afinal, oferecendo suporte emocional e seguindo as orientações profissionais. Tais doenças podem ser evitadas pelo diálogo, feito com a família e amigos ou até mesmo em palestras na escola. Quanto mais informação e acesso os adolescentes tiverem, aumentam as probabilidades dos encaminhamentos adequados.