Vem Viver

Viajar e estudar

Postagem: 18 de outubro de 2017


Entra ano, sai ano e é cada vez maior o número de brasileiros que resolvem arrumar as malas e cair no mundo para aprender um idioma, aprimorar o currículo e, de quebra, conhecer lugares incríveis e uma cultura totalmente diferente da nossa.

 

Para quem pensa que estudar em outra nação é um sonho distante, fica o recado: com as promoções de passagens aéreas e a concorrência entre as escolas no exterior, esse desejo pode pesar bem menos no bolso do que se imagina.

 

Vancouver (Canadá)

Uma série de boas razões colocam esta cidade no topo da lista dos destinos mais populares do mundo para aprender inglês durante as férias. Para começar, é um local que sabe muito bem como receber gente dos quatro cantos do planeta. Prova disso é que lá vivem mais de 120 etnias diferentes.

 

O número de atrações também é farto. De janeiro a janeiro, há sempre algo para fazer por lá: o Oceano Pacífico lota as praias no verão, as montanhas viram estações de esqui no inverno e, em qualquer época do ano, mais de 200 parques estimulam atividades ao ar livre.

 

Sevilha (Espanha)

Sevilha é o melhor local para vivenciar tudo aquilo que se ouve falar sobre a Espanha: a dança flamenca, as tapas, as sangrias, etc. A cidade ainda vem com uma mistura cultural moldada por anos de história. Tanta gente já passou por ali que a cidade evoluiu, mas sua origem pode ser vista na arquitetura, na gastronomia, na religião e no jeito simples de levar a vida.

 

Para os brasileiros, tem mais uma vantagem: o clima é semelhante ao nosso, com invernos amenos e verões ensolarados. Por tudo isso, é o lugar perfeito para aprender espanhol. As escolas de idioma têm cursos para todos os níveis, do básico ao avançado.

 

Napa Valley (Estados Unidos)

Apesar do tamanho reduzido, o local é a melhor opção para quem pretende se especializar na arte de apreciar vinhos. São mais de 250 vinícolas e dezenas de centros de ensino com cursos de especialização sobre vinho, que vão de informações básicas para principiantes a certificações de excelência para quem é expert.

 

A bebida, não por acaso, comanda as atrações na região. O Trem do Vinho, por exemplo, tem vagões de 1910 e faz um percurso de três horas com direito à degustação de rótulos locais e almoço gourmet caprichado. Já o sobrevoo de balão proporciona a visão panorâmica das parreiras de Napa Valley.

 

Lyon (França)

A terceira maior cidade da França reserva um capítulo especial de sua história de mais de dois mil anos para a arte da culinária. Não é à toa que basta uma voltinha por lá para encontrar uma sequência de mercadinhos, bares, restaurantes e bistrôs.

 

O chef Paul Boucuse, proprietário do L’Auberge du Pont de Collonges, ganhador da nota máxima de três estrelas Michelin, dá nome à famosa Escola de Culinária do Instituto Paul Bocuse, que oferece cursos rápidos, de média e longa duração, sobre pâtisserie, boulangerie, vinhos e queijos franceses. Além dela, há diversas outras instituições destinadas ao ensino e ao aprimoramento de técnicas culinárias.

 

Sydney (Austrália)

Sydney é um lugar tão fascinante que vale cada segundo da viagem. A maior cidade da Austrália também é o centro financeiro, cultural e de compras do país. Mas a metrópole tem um ar descontraído e sabe dosar bem a rotina de uma cidade grande com qualidade de vida.

 

O governo local ainda criou programas de estudo aliados a trabalho, ou seja, dá para viajar, estudar e ainda trabalhar. Para quem pretende aprender inglês, há uma variedade incrível de escolas de idiomas. Já para turbinar o currículo, existem os cursos Vocational and Training (VET), que incluem certificação em gastronomia, turismo, marketing, fitness, contabilidade, tecnologia da informação e diversas outras áreas de atuação.