Dicas de saúde

O ronco alto e o sono difícil

Postagem: 14 de outubro de 2017


A Universidade John Hopkins, nos Estados Unidos, realizou um estudo que relaciona o ronco alto e o sono difícil a uma menor expectativa de vida. Segundo a pesquisa, as pessoas que apresentam dificuldade para respirar durante o sono têm 50% mais chances de morrer antes de alguém da mesma idade que não enfrenta o problema.

Caracterizado pelo ruído respiratório enquanto dormimos, o ronco noturno representa um sinal de resistência da via aérea superior e de apneia obstrutiva do sono, que se dá pelo colabamento da via aérea por alguns períodos do sono. Decorrente de diversos fatores, isso faz com que a pessoa pare de respirar por um tempo maior do que dez segundos. O diagnóstico correto é feito por um exame de noite inteira, chamado polissonografia.

Alguns fatores predispõem a doença, como obesidade central e sexo masculino. Os homens são oito a dez vezes mais acometidos com o problema. No entanto, mulheres na menopausa apresentam um risco maior de desenvolvê-lo por conta da influência hormonal, que também prejudica a respiração durante o sono.

Otorrinolaringologista e médica auditora da Central Nacional Unimed, Caroline Huramitamoto aponta que, para reverter esse quadro, é necessário mudar o estilo de vida. A perda de peso, por exemplo, é uma das medidas mais adotadas, uma vez que o excesso de gordura ao redor do pescoço contribui para o bloqueio das vias respiratórias. Junto a ela estão a prática de exercícios físicos e o abandono do tabagismo.